Um olhar atento à VIOLÊNCIA DOMÉSTICA e RELAÇÕES ABUSIVAS

A violência doméstica engloba todo tipo de violência praticada entre os membros que habitam um ambiente familiar. Pode acontecer entre pessoas com laços de sangue, laços afetivos ou unidas de forma civil. A agressão física, em geral inicia-se após outros tipos de violências.

Nem toda dor é sentida na pele. A violência doméstica subdivide-se em física, psicológica, sexual, patrimonial e moral.

O relacionamento abusivo é uma das formas de violência psicológica. E nem é preciso que agressor e vítimas morem sob o mesmo teto ou mantenham um vínculo amoroso.

Os dados são alarmantes e em sua grande maioria, as vítimas são mulheres. Sua sujeição independe de classe social, idade, raça ou religião.

No mundo corporativo, as empresas têm sofrido grandes prejuízos, já que uma vítima de violência doméstica não possui condições de plenamente atuar em suas funções. Com seu emocional abalado estará sofrendo as dores das agressões vividas e dominada pelo medo de voltar para casa. Não raras também são as ausências no trabalho.

O projeto visa engajar os empregadores nas questões sociais que abarcam o tema, estimulando a conscientização, proporcionando apoio e orientação às vítimas.

Identificá-las no ambiente laboral, classificar suas necessidades e engajá-las nos serviços de apoio é o primeiro passo para tirá-las de situações de vulnerabilidade.

Os caminhos jurídicos e os programas governamentais lhe serão apresentados. Há uma vasta gama de meios e medidas protetivas validadas pela Lei n. 11.340, de 07 de agosto de 2006 – Maria da Penha; além de órgãos como a Defensoria Pública, Casas de Apoio, Coordenadorias Municipais e Organizações não Governamentais. Contudo, a liberdade de escolha é unicamente da vítima.

Independente de medidas legais, o foco do projeto é resgatar a valorização destas pessoas, que ao logo do tempo, submetidas a estas relações, perderam sua identidade emocional, sofreram violações de direitos, subjugação ao outro, passaram a viver em permissividade, mediante ameaças e muito medo.

A destruição emocional causada pela violência doméstica abarca qualquer tipo de construção familiar ou afetiva, seja ela heterossexual, homossexual ou transexual afetiva.