Engajar empresas no combate à violência doméstica, eis que há um impacto direto com perdas significativas em decorrência de saídas, ausências, acidentes e baixa produtividade. Identificar no quadro que compõe a organização, quem são as vítimas, quem são as pessoas envolvidas em relações conflituosas e dar-lhes apoio e orientação.

Conhecer direitos e ter auxílio são pontos de partida para interromper o ciclo de violência.  Somente pessoas saudáveis em suas emoções, em sua rotina, podem dar o melhor de si no ambiente de trabalho, produzir com segurança, gerar ideias e frutos.